sábado, 4 de abril de 2009

:: Uma manhã de domingo

A feira de antiguidades e artesanato da rua do Lavradio é uma delícia. O sol meio indeciso, dando as caras por entre as nuvens, ajudou a dar um clima gostoso à manhã.

Vasos belíssimos, algumas esculturas interessantes, vitrolas, vinis... O rack de madeira de demolição com porta veneziana de vidro já está encomendado. Chega segunda-feira.

O almoço foi uma ótima pedida, apesar de meio esquizofrênico. O Nova Capela é um restaurante português bastante famoso, mas nossa escolha foi lula à espanhola. Estava no cardápio, logo depois do polvo à grega. Chegamos a cogitar a apfelstrudel de sobremesa, mas preferimos estancar ali o processo de globalização.

Na hora de tirar o carro da vaga, um motivo para uma indigestão: o poste de ferro escondido entre o ponto cego do retrovisor e o chopp no meu sangue me custou um parachoque lateral. Cheguei a me sentir culpado já que por muito pouco não fomos de ônibus, mas relevei. Lembrei que preciso pagar o imposto de renda até o fim do mês. É aquela velha história: o que é um peido para quem está cagado?

Que venha o domingo.

2 comentários:

cajibrina disse...

bebendo e dirigindo? ts.ts.ts.

FELIPE disse...

De fato, a feira da Rua do Lavradio me remete a algumas sensações não tão boas... Trabalhei por 2 anos num curso para concurso na Rua Buenos Aires... e sempre passava atrasado, esbaforido, e cheio de materiais de aula ...

Sempre q passava por ali, pensava: Ai q saco essas barraquinhas... Ai q saco esses neo-hippies... Ai q saco esse sambinha de raiz q não permite q eu faça uma ligação explicando ao meu chefe q eu já estou chegando... Ai q saco q não posso aproveitar isso aqui... rsrs

Depois de 2 anos, passei a ver a Rua do Lavradio com outros olhos... não os de ressaca, nem oblíquos e dissimulados de Machadão..., mas com uma certa melancolia... Uma saudade boa... Vai entender, né? tsc tsc