quarta-feira, 16 de julho de 2008

:: Pequenas conclusões bastante óbvias

Depois de uma tarde com amigos cheguei a algumas conclusões:

1. O Fashion Mall é um daqueles lugares onde os ricos vão fantasiados de pobres.
2. Vendedoras de lojas de ricos ou são também ricas ou pensam que são.
3. "Sale", "Off" e "Liquidação" são palavras muito irônicas quando aparecem em vitrines do Fashion Mall.
4. A confeitaria Kurt, no Leblon, não tem a melhor torta da cidade embora assim deseje a revista Veja.
5. Às sete já não é mais possível comprar um casaco em Ipanema.
6. Você pode ter 50 anos, mas vai viver histórias de adolescente. E vai se divertir com elas.
7. Seguindo a onda dos temakis, surgiu uma loja chamada Conni d'Pizza. Não vale a pena conferir.
8. Os melhores programas são aqueles não programados.

9 comentários:

André Lima disse...

Todas conclusões sensatas. Mas a 8 é uma que, infelizmente, poucas pessoas se dão conta e aproveitam. Eu não podia concordar mais.

Suzana disse...

vc experimentou o konny dy'pitzah (adoro a ortografia moderna...)?

clarismello disse...

não sei se concordo com tudo, pois não experimentei tudo.
outros, não entendi, como a cinco.

enfim, oi, tô burra.

Faber disse...

Claris, eu tava tremendo de frio em Ipanema e já eram sete e pouquinho. Pensei em entrar numa loja tipo Taco e comprar uma camisa de manga comprida ou um casaquinho leve. Nada aberto. A solução foi uma cachaça.

Heitor Achilles disse...

"8. Os melhores programas são aqueles não programados."

Cuidado, com as más influências de Dionísio, Sr. Apolo!

PS: Acho que ainda estão faltando algums conclusões ...

rsrsrsrsrsrs

cajibrina disse...

bela solução!

maíra disse...

bela poesia de Baudelaire! aliás, belos acasos encontro nos poemas por aqui. Nenhum de autoria própria?

Rafaela Marinho disse...

Eu só não entendi a 1ª! Não seria o contrário?!

Faber disse...

Não, Rafa. Ricos vão ao fashion mall usando uma bermuda de algodão sem passar, uma camiseta com a gola embeiçada e com um par de havaianas. Não penteiam os cabelos também. Os pobres vão com sua melhor roupa - se é que vão - mas ainda assim não chegam a se parecer com um rico.