quinta-feira, 29 de novembro de 2007

:: Se

Se eu tivesse ido direto para casa talvez agora ainda teria oitenta reais na carteira e colocaria o meu celular ainda não pago para despertar amanhã às 6h30.

Será?

Uma das coisas mais intrigantes da vida é essa imprevisibilidade.

Existe roteiro? Já está tudo escrito? Estamos atuando, sendo dirigidos por diretores invisíveis? Um passo à esquerda implicará em alguma mudança futura se o passo tivesse que ser dado à direita? O bolo solado de hoje teria solado se há três semanas eu não tivesse assistido àquele filme?

8 comentários:

Tatiana disse...

Bom, eu acredito que tudo acontece por algum motivo.
Não que eu acredite que você merecia ter sido roubado xD

B. Homsi disse...

Engraçado, Faber, já me perguntei a mesma coisa. Mas (in)felizmente, todos nós já nos perguntamos xD
Particualarmente, não acredito em Destino ou Mãos Invisíveis que dão empurrõezinhos em nossas vidas
Mas a idéia é no mínimo, intrigante.
Sera que até aquele dia em que, desistimos encima da hora, já estava planejado?
Estranho.

Heitor Achilles disse...

Bem vindo ao CAOS!

será que chegou a hora de Sr aceitar aquele meu convite? Lembra?

Que tal diante daquela fogueira jogar essa ou melhor essas (aposto que já tem uma para 2008)agendas fora?

Mas, fique tranquilo!

O fato ocorrido pode ser o responsável em concretizar aquilo que você muito quer. Ou ...

rsrsrsrs

Arthur disse...

Eu num mudo de blog como mudo de roupa! Ò.Õ Aquele Blogger maniaco deletou o meu antigo blog e meus amigos ameaçadoramente me obrigaram a criar um novo blog! o/

Viu?Completamente plausivel!

Tatiana disse...

Huahuahua, continuar tendo aulas de geografia com você vai ser legal! :)

Tüppÿ disse...

Huhauahuuhauhauhauhuhahuauha
Ok \o/

O público descobrirá oito coisas aleatórias sobre Faber!

Mas você não precisa necessariamente amaldiçoar os outros.
(ou daqui a pouco vai ter uma legião me xingando por ter passado isso - ou só ignorando mesmo xD)

Até amanhã!

Arthur disse...

Que coincidencia!

Por nervoso eu tbm queria dizer sem graça.

Bia... disse...

não tem graça pensar com se, "se" pudessemos voltar ao tempo e mudar o rumo da coisas não teriamos conhecido certas pessoas, nem passado por boas experiencias...o acaso também proporciona bons momentos!