sábado, 20 de outubro de 2007

:: Outra pessoa

Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

Alberto Caeiro

Se eu fosse o Fernando Pessoa e tivesse a capacidade de escrever fingindo ser outra pessoa, e se acontecesse de essa outra pessoa ser o Alberto Caeiro, eu entraria em crise por admirar demais esta outra pessoa em mim e finalmente desejaria deixar de ser Pessoa para sê-la.

3 comentários:

Julia disse...

Acho que já li isso antes... xD
Alberto Caeiro é realmente demais *-*

Capilo disse...

Meu caro, mal aí por usar o comentário de um post prafalar de outra coisa. Mas blog acaba tendo dessas coisas né...? Bom, o link pro seu blog está lá no blog do VQ (www.blogdovq.blogspot.com) e já mandei um convite para que se (re)torne nosso colaborador. Pode entrar sem pedir licença, que a casa é sua também...
Forte abraço,
Vitor

Thiago Matos disse...

Faber, vc eh um atista?
eu sinceramente não imaginava que vc escrevia.
Ah, muito bom este post hein.