domingo, 28 de outubro de 2007

:: Céu



De que vale a vida
quando tudo parece nada valer?
Pra que servem sonhos
se a realidade faz questão de doer?
Passado, presente, futuro:
nunca tive, não tenho nem vou ter.
Em meio aos devaneios
o sol cega meus olhos e me faz lacrimejar.
Levo as mãos ao rosto,
olho pra cima e sinto um sorriso brotar.
Vidas não valem, sonhos não servem,
mas o céu ainda está lá.

Faber Paganoto


Escrevi isso aí no dia 15 de abril de 2004 e publiquei no meu fotolog (na época eu dizia que jamais teria um blog). Hoje, tentando organizar meus arquivos, encontrei várias coisas escritas há tempos. E é interessante tentar lembrar o que se passava na minha cabeça quando escrevi cada uma daquelas coisas.

Foto: o céu de Serra Queimada, registrado por mim, naquele mesmo ano.

8 comentários:

Tüppÿ disse...

Ooooh! *.*

Adorei seu poema/poesia/outros.

O céu é uma coisa TÃO linda. Eu posso ficar 378 horas só olhando pela janela. O mais engraçado é que ele consegue ser impressionante em qualquer horário, e o espetáculo é diferente a cada dia.
Eu vivo dizendo pra minha mãe (porque ela quer se mudar de Copa) que não ligo em me mudar, desde de que continue tendo vista pro céu.



E nossa maquete da mata de araucárias vai ficar uma joça, tá? xD

Tüppÿ disse...

Hhuahuahuahuhau, se a gente não é capaz nem de fazer a parte terrestre, quem dirá o céu!

Falando nisso, você teria alguma idéia da fauna da floresta araucária? A gente não conseguiu encontrar. Daí tem um monte de Pokémon e dois pombos mutantes gigantes (feitos pelo Breno) na nossa maquete.


E a música na verdade fala sobre um cara (o Daniel Cowman) que recebeu a pena de morte. A parte que cê leu foi "the premature ejaculation of his death sentence hit Daniel in the face..." É uma música um tanto doidona xD

Rafaela Marinho disse...

Faber! Você não é só professor! hahaha Se acabarem as escolas (o que eu acho meio improvável), pode ter certeza que seus poemas eu compraria!

Bia... disse...

"Pra que servem sonhos
se a realidade faz questão de doer?"
eles sejam talvez o motivo de ainda não termos desistido ;)

adorei isso!

e se o papo já virou a maquete, acho impossivel reproduzir a amazônia em um espaço de 60x40 cm, que na verdade é o tamanho de um inseto daquela floresta!

Lucas disse...

faber muito bonito...
poema de primeira
confesso q quando vi nao esperei muita coisa nao, mas ateh q ficou muito bom! parabens seu blog eh muito legal!
e ah
acho q vou seguir a carreira de geografia...
na aula agent conversa melhor..
vlw abrasss

Danielle Guedes disse...

Nossa, adorei. Muito mesmo!
Já penso bastante, e em muitas vezes, coloco meus pensamentos no papel.. vendo seu blog então, vou pensar mais ainda. hahahaha
Ou seja, meu blog vai render bastante =P
Você escreve bem, Faber.. parabéns, seu blog tá ótimo!
Continua indo no meu pq estarei sempre aqui.

Beeeijos :*
Ah, vocês(vc, heitor e os meus queridos) terão um post especial no meu blog. heheheh

Tássia disse...

Que bonito! *-*

Claro que ex-professor também pode hauha sinta-se livre sempre.
Eu acho engraçado como, vendo essas coisas antigas, por mais que tenhamos mudado tanto, a nossa essência quase sempre é a mesma e nossas palavras continuam fazendo sentido, as vezes até mais do que antes.
O céu é um presente gratuito diário, é maravilhoso x} ahua
Beeeijos!

************************* disse...

A vida é o que temos de mais precioso e os sonhos servem para nos manter vivos e aliviar toda a pressão e dor do dia-a-dia.

O céu só se justifica pelo fato de vidas valerem ... e sonhos servirem ...

Esse céu "infinito" acima de todos nós apenas reflete nossos sonhos, enquanto que o sol se encarrega, através de seus raios mandá-los de volta para que possamos vivê-los.

É uma pena que muitas vezes apenas contemplamos as nossas sombras refletidas no chão.