terça-feira, 20 de maio de 2008

:: Tudo vai dar certo

Mais uma vez aquela sensação de que tudo vai dar errado. De vez em quando ela aparece... Em geral, chega junto com um período de mudanças. Aliás, em geral chega por causa das mudanças. As mudanças envolvem perdas. Pelo menos as mudanças às quais me refiro e pelas quais já passei e volto a passar. E são perdas muito doloridas. As de agora, em especial. As do passado já superei e elas até foram recompensadas, mas naquelas ocasiões a sensação de que tudo daria errado era muito clara, incontestável. Agora a sensação é de que, quem sabe, como das outras vezes, nem tudo dê errado, embora, à primeira vista, pareça que dará. E é isso que me amedronta ainda mais. Será que agora, por relativizar a sensação do "tudo vai dar errado", tudo dará errado?

8 comentários:

Júlia Mano disse...

ai faber ..para com isso que eu fico com medo ..vai dar tudo certo ..tem que dá e sempre no final dá..
eu tenho quase certeza que sei a q vc está se referindo

beijo

Danielle disse...

Significa que agora você vê as coisas com mais maturidade, já que tudo nunca dá totalmente errado mesmo e as situações e escolhas e mudanças da vida têm N ramificações de prós e contras. Mesmo que na hora seja difícil ver que o sol vai mesmo brilhar de novo. =P
Mas ai meu deus, não faça mudanças drásticas, caaaalma, pensa. As coisas não terminan erradas ou certas, geralmente elas só terminam normais, com você tristinho ou contente e dai você vai seguindo na direção que você quer.

Nossa, que coisa ridícula, um bando de aluno dando altas opiniões na sua vida. Inclusive eu. =P

Fernanda Souza disse...

Faber,
infelizmente acho que sei do que você está falando. Espero muito estar errada. Mas, independente da mudança o importante é pensar positivo. E sempre lembrar que as mudanças podem ser positivas, e se não forem você vai sempre poder contar com a gente. Apesar das mudanças serem difícies elas são necessárias para o crescimento pessoal e profissional.

Beijos

Bia... disse...

sabe quando você entrar em uma sala de aula, fica horas pedindo silencio e os alunos parecem não te ouvir?
é ruim!
mas quando após algum esforço eles calam a boca e colocam-se a te ouvir é beeem melhor né!?
então depois da tempestade vem a fartura como diria minha avó em 1900e lá vai bolhinha...
relaxa, que tudo vai dar certo...

ps:falando em tempestade, blog atulizado

Heitor Achilles disse...

Errado, certo, certo ou errado...
Existe certo ou errado?

Só tenho uma certeza: Existe movimento. Vida é movimento puro. Movimento.

Alíás, Sr Apolo, esquece o futuro.
Cuida é do presente o resto está a cargo do caos. Nem adianta...

Pensar agora para quê?
Entre certo e errado o importante é se movimentar. Siga, vá, mergulhe.

O chão existe e os amigos estão aí como voluntários para o resgate.

Resgate? O que estou falando? Pelo visto Apolo quer porque quer influenciar. Mas não adianta ao meu lado está Dionísio, por isso bebo vinho e saboreio o presente. Enquanto isso deixo tudo sob a responsabilidade das borboletas, aquelas da América Central. Sem culpas. Vida é instante que se passa e para ser o contemporâneo do dia seguinte deve se preocupar com o agora. Não há nada que não seja efemero, fugaz ou melhor fullgas.

Rafaela Marinho disse...

Faber, te vendo na sala de aula assim, chamando atenção, falando alto, você passa uma segurança muito grande. Mas esse é o problema, a gente esquece as vezes que o professor é alguém tão igual a gente. E eu também estou passando por váris mudanças agora. Aliás, desde que me mudei aqui pro Rio, nunca vi tantas mudanças numa vida só. Mas acho que consigo entender essa sua dúvida. E ultimamente estou aprendendo, que as vezes o errado é relativo. Só o futuro vai dizer se é errado ou não. Só o futuro vai "responder" essa sensação.

ps.: Tô com uma mania de falar de futuro! Hahaha ... Desculpa se dei muito de pisicóloga. Beijos

clarismello disse...

berenice, segura!

B. Homsi disse...

Postagem bonita, Faber.
Fiquei chocado ao ler revelações pessoais, mas choquei-me postiviamente.

É engraçado como todos parecem compadecer-se quando revelamos um momento de fraqueza. Até "pisicólogas" aparecem para analisar os problemas. Enfim..

Entendo o pessimismo que envolve determinadas situações, e principalmente, entendo pessimismo que envolve quase TODAS as situações. É uma arma de defesa que nos protege de decepções.

Bom saber que você superou momentos passados, os de agora são outros. Creio que cê pode contar com os leitores do blog (incluindo eu) para qualquer coisa.

Sorte, anyway.